Trabalho, ações e conquistas de 2017. Confira! | Vereador Caio Cunha

Trabalho, ações e conquistas de 2017. Confira!

15 de Dezembro de 2017 | 85 visualizações | Por: Caio Cunha | Atualizado em: de de
Tempo estimado de leitura: 3 minutos.

Entre suas principais conquistas está o Polo Digital; o andamento às tratativas de regulamentação do aplicativo Uber; e a implantação da Lei que exige aos supermercados a disponibilização de cadeira motorizada com cesto acondicionador de compras para uso de clientes com deficiência ou mobilidade reduzida

No primeiro ano de gestão do seu segundo mandato, o vereador Caio Cunha (PV) apresentou 382 documentos, entre indicações e ofícios, além de 24 projetos, 14 requerimentos, 9 anteprojetos e 3 moções. Neste mesmo período, o verde comemorou a inauguração do Polo Digital de Mogi das Cruzes, conseguiu dar andamento às tratativas de regulamentação do aplicativo Uber na cidade e viu seu mandato se tornar referência para outros membros do Legislativo do país.

Segundo o parlamentar, entre suas principais conquistas está o Polo Digital, equipamento que havia idealizado em 2015 junto com os empreendedores do Alto Tietê Valley, e que, agora, teve o prestígio de ver seu trabalho de articulação ganhar contorno e se tornar um projeto referência na região do Alto Tietê. “Nossos esforços para tirar do papel o Polo Digital tiveram resultado. Neste ano, visitei espaços de inovação de todo o Brasil, como incubadoras, aceleradoras e parques tecnológicos. Tenho orgulho de dizer que o Polo Digital foi fruto de nosso trabalho. O prefeito Marcus Melo teve a coragem de pensar a médio e longo prazo e entregar o Polo Digital à cidade”, detalhou.

Outro destaque vai para a mobilização e a criação da Comissão Especial de Vereadores (CEV) do aplicativo Uber, que trabalhou pela regulamentação do transporte individual de passageiros no município. Ao lado dos parlamentares membros da comissão, os vereadores Diego Martins, o Diegão (PMDB); Marcos Furlan (DEM); e Mauro de Assis Margarido, o Maurinho do Despachante (PSDB), Caio Cunha encaminhou Anteprojeto de Lei à Prefeitura.

Durante o ano de 2017, o verde comemorou a implantação da Lei que exige aos supermercados e centros comerciais a disponibilização de cadeira motorizada com cesto acondicionador de compras para uso de clientes com deficiência ou mobilidade reduzida. O parlamentar também ofereceu destaque ao seu projeto que solicita a disponibilização de um curso básico de Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Centro Municipal de Apoio à Educação de Jovens e Adultos (Crescer), da Secretaria Municipal de Educação. 

Outros trabalhos de sucesso foram a conquista de R$ 1 milhão em verba federal para ações de agricultura sustentável e recuperação de mananciais; o pedido de instalação de pista de Cross-Country Olímpico no Parque da Cidade; a indicação de cursinho pré-vestibular gratuito na educação profissionalizante do município; e os projetos para divulgação online das listas de espera por vagas em creches e por exames médicos.

“Nesses 12 meses, apresentamos muitos projetos. Como exemplo, propusemos a proibição da entrega de obras públicas inacabadas; temos o ‘Imóveis Ecológicos’, que oferece desconto de até 30% no IPTU aos mogianos que adotarem medidas sustentáveis em suas residências; e solicitamos a implantação de lixeiras nos comércios da cidade, visando a retirada dos dejetos das calçadas”, lembrou.

Caio também presidiu as CEVs do Uber e aplicativos de transporte, de Inovação e Tecnologia, e de Reforma Política, além de ter atuado na CEV de Gestão do Lixo.


Mandato Colaborativo

No Alto Tietê, Caio criou o “Politicafé”, que é um grupo regional de vereadores. Nos encontros, os parlamentares têm a premissa de promover agendas coletivas para fomentar políticas públicas, que visam encontrar soluções para os principais problemas da região.

Já em âmbito nacional, Caio organizou uma rede de parlamentares para compartilhar a sua metodologia de mandato colaborativo. O grupo funciona em um formato de compartilhamento de ferramentas que tornam as gestões mais participativas. Inclusive, os integrantes têm que ter mandatos baseados nos princípios da transparência, representatividade e participação popular. Até o momento, vereadores de oito cidades do país integram a rede.